Refugiados não trouxeram extremismo à Alemanha, diz Merkel

BERLIM, 18 AGO (ANSA) - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, negou que sua política de acolhimento de imigrantes e refugiados tenha trazido o extremismo islâmico ao país. Merkel explicou, durante discurso em comício, que "o terrorismo do Estado Islâmico (EI, ex-Isis) não é um fenômeno que chegou com os refugiados, mas algo que já tínhamos antes".   

A chanceler ainda defendeu o aumento das medidas de segurança em todo território alemão, como reportou a agência de notícias local "DPA".   

O país foi palco de diversos ataques realizados por imigrantes, dois deles reivindicados pelos jihadistas do EI, nas últimas semanas.   

Os episódios reacenderam o debate sobre as políticas de acolhimento adotadas pelo governo Merkel. No início do ano, sua decisão de receber milhares de refugiados já havia sido bastante criticada após a onda de abusos sexuais registrada em Colônia na noite de Ano Novo. O país recebeu mais de 1 milhão de refugiados no ano passado.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos