Rússia nega autoria de ataque que feriu menino em Aleppo

MOSCOU, 19 AGO (ANSA) - O Ministério de Defesa da Rússia negou que o país tenha realizado o ataque aéreo sobre a região de Al-Qvatergi em Aleppo, na Síria, que deixou Omran Daqneesh, um menino de cinco anos, ferido.   

As imagens do menino ensanguentado foram divulgadas por ativistas opositores sírios na última quinta-feira, dia 18, e viralizaram na Internet, chocando o mundo todo.   

Em comunicado, o porta-voz militar, Igor Konashenkov, disse que "os aviões russos que operam na Síria jamais atacam alvos em zonas povoadas por civis".   

"Isto diz respeito, em particular, à região de Al-Qvatergi, em Aleppo, que é adjacente aos corredores de passagem de civis recentemente abertos no âmbito da operação humanitária russa", acrescentou.   

O bombardeio do qual a Rússia nega autoria deixou ao menos oito mortos, entre eles cinco crianças, apontam os ativistas do "Aleppo Media Center". Vídeo - Após as fotos do corpo do menino Aylan, morto em uma praia da Turquia quando sua família tentava fazer a travessia do Mar Mediterrâneo, causarem comoção no ano passado, o mundo voltou a se chocar com a crueldade do conflito na Síria com a divulgação de imagens de Omran Daqneesh.   

O menino aparece completamente ensanguentado e desorientado recebendo auxílio médico após bombardeios das forças aliadas de Bashar al-Assad em Aleppo. No vídeo, um socorrista tira a criança dos escombros e a leva para uma ambulância, onde é colocada suavemente em uma cadeira. Omran parece cansado e atordoado, sem entender a situação. Ele coloca a mão na cabeça e percebe o sangue. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos