Brasil espanta 7 a 1 e conquista inédito ouro olímpico

RIO DE JANEIRO, 20 AGO (ANSA) - Não dá para dizer que foi uma vingança pela Copa do Mundo, mas é impossível negar o gostinho especial de vencer a Alemanha. Em uma partida emocionante, o Brasil derrotou sua maior carrasca nos pênaltis e conquistou o inédito ouro olímpico.   


O jogo começou com o fantasma do 7 a 1 pairando sobre o Maracanã. Toda vez que a Alemanha aproveitava os espaços na defesa brasileira para contra-atacar, os torcedores se calavam, como se lembrassem da festa promovida por Müller, Khedira, Klose e companhia.   


Logo aos 10 minutos, Brandt acertou uma bola no travessão que gelou o público na arquibancada. Mas aos poucos a seleção, com marcação pressão e agressividade, foi assumindo e controle das ações e conseguindo faltas nos arredores da área alemã.   


Em uma delas, aos 26, Neymar acertou um chute magistral e colocou no ângulo do goleiro Horn, para alegria de Usain Bolt, que acompanhava a partida das tribunas do Maracanã. Em retribuição, o craque do Barcelona fez o famoso gesto do raio eternizado pelo jamaicano.   


Após o gol, a Alemanha reagiu e mandou mais duas bolas na trave, dando também menos espaço para o veloz ataque do Brasil. E a tetracampeã mundial voltou ainda melhor para a segunda etapa.   


Aos 13, os alemães apertaram a saída de bola brasileira e trocaram passes no campo de ataque até a bola encontrar o camisa 7 Meyer.   


Sozinho na área, o meia-atacante do Schalke 04 finalizou de primeira e deixou tudo igual. Foi o primeiro gol sofrido pela seleção nos Jogos do Rio. O tento parece ter acordado o Brasil, que voltou a oferecer perigo, principalmente com Neymar.   


Primeiro, ele deixou Felipe Anderson na cara do gol, mas o meia da Lazio demorou para chutar e perdeu a bola. Logo em seguida, fintou dois adversários e chutou rente à trave de Horn. Porém nenhum dos times conseguiu ficar à frente no marcador no tempo normal.   


Na prorrogação, a chance mais clara apareceu já na segunda parte, em mais uma bola lançada por Felipe Anderson, que desta vez parou no goleiro adversário. Com o evidente cansaço das duas equipes, a partida foi para os pênaltis, e aí prevaleceu o fator casa.   


Na quinta cobrança, Weverton pegou o chute de Peterson, e coube ao melhor jogador em campo a tarefa de fechar a conta.   


Visivelmente cansado, Neymar, com categoria, mandou para o fundo da rede alemã e deu o ouro ao Brasil. Com a vitória assegurada, o atacante desabou em lágrimas no gramado e foi ovacionado pelo público.   


Assim, a seleção mais vitoriosa do planeta finalmente conquistou o último título que lhe faltava e de quebra fez o país igualar o recorde de 17 medalhas de Londres 2012, mas com vantagem nos ouros (6 a 3). (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos