Rio 2016 confirma lendas e abre espaço para novos mitos

Por Tatiana Girardi SÃO PAULO, 21 AGO (ANSA) - Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foram palco da confirmação de lendas do esporte e do início da caminhada de alguns que prometem ser os melhores da história em suas modalidades.   


Os principais responsáveis pelo primeiro grupo têm dois dos maiores de todos os tempos: o corredor jamaicano Usain Bolt e o nadador norte-americano Michael Phelps. Pouco importa quem deve ser considerado o maior deles. O que vale é o show de perícia, precisão e técnica que ambos apresentaram quando todos esperavam tudo deles.   


O agora aposentado Phelps veio ao Rio após ficar dois anos parado. Conseguindo suas vagas olímpicas na última seletiva do país, ele conquistou a chance de disputar seis provas. Em cinco delas, foi o melhor. Na sexta, conquistou a prata e aumentou para 28 o número de medalhas olímpicas - sendo 23 de ouro - em cinco edições dos Jogos. A fartura de pódios o coloca como o maior medalhista de todos os tempos e dono de um recorde que perdurava dois mil anos.   


Já Bolt veio a sua última Olimpíada com um objetivo: ser o único tricampeão olímpico da história nas provas dos 100 metros e 200 metros rasos - e conseguiu. E ele ainda disputou a final do revezamento 4x100m pela Jamaica, onde também conquistou seu terceiro título.   


Com seu estilo habitual, cheio de graça e provocações, o jamaicano gravou seu nome entre aquele dos melhores atletas da história. A única "frustração" de Bolt foi não ter corrido a prova dos 200m abaixo dos 19 segundos - algo jamais feito por um atleta. Outro nome menos badalado, mas não menos importante, foi o francês Teddy Riner, que luta na categoria acima dos 100kg no judô, e tornou-se bicampeão olímpico. O atleta não sentiu a pressão e completou incríveis 112 vitórias consecutivas na modalidade, sendo que ele não perde uma luta desde 2008. - Candidatos a lendas: As arenas esportivas do Rio de Janeiro também serviram de palco para o surgimento de novas estrelas olímpicas - e que, por sua juventude, prometem muito para o futuro. A "novata" Simone Biles, campeã olímpica na ginástica artística, fez sua estreia em Jogos mostrando o porque dela revolucionar o esporte. A norte-americana levou quatro ouros em cinco disputas - e ainda garantiu um bronze na trave, conquistando pódios em todas as competições em que esteve. Continua ...(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos