TAS mantém banimento da Rússia nas Paralimpíadas do Rio

MOSCOU, 23 AGO (ANSA) - O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) rejeitou o recurso apresentado pelo Comitê Paralímpico da Rússia nesta terça-feira (23) e manteve o banimento da delegação do país dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. A competição inicia no próximo dia 7 de setembro.   


Com a decisão, o TAS seguiu a orientação do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) e manteve a suspensão de todos os atletas. A atitude tomada pela entidade foi contrária àquela emitida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) que deu às federações esportivas a liberdade para permitir ou não a presença dos russos nos Jogos Olímpicos do Rio.   


Após o anúncio, o IPC se disse "satisfeito" com a punição e anunciou que irá começar a redistribuir as 267 vagas paralímpicas que pertenciam aos russos para outras nações. Por sua vez, o ministro do Esporte, Vitaly Mutko, rebateu a sentença e afirmou que a decisão "é política e não esportiva".   


O banimento russo tem como base um relatório apresentado por uma comissão independente liderada pelo canadense Richard McLaren. O documento, feito a pedido da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), apresentou um "doping sistêmico e de Estado" dos atletas russos. Esse esquema seria liderado pelo ministro Mutko e era de conhecido de autoridades do governo russo.   


Apesar de ter começado com um escândalo de doping no atletismo, que causou problemas até mesmo para a Federação Internacional de Atletismo (Iaaf), segundo McLaren, o esquema se espalhou para todos os competidores do país. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos