Lochte é suspenso por dez meses após mentir sobre assalto

WASHINGTON, 8 SET (ANSA) - O nadador norte-americano Ryan Lochte ficará suspenso das competições até junho e terá que pagar uma multa de US$ 100 mil -- o bônus recebido pela medalha de ouro conquistada nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro -- após ter mentido sobre ter sido assaltado na cidade.   


O Comitê Olímpico norte-americano (Usoc) e a Federação de Natação dos EUA anunciaram a punição nesta quinta-feira, dia 8, em comunicado.   


Para o presidente do Usoc, Scott Blackmun, "o comportamento destes atletas não foi aceitável" e o episódio "difamou de forma injusta nossos anfitriões e tirou a atenção das conquistas históricas do time norte-americano".   


Com a suspensão, Lochte deve ficar fora do Mundial de Natação do próximo ano. Além disso, ele não receberá ajuda financeira das instituições esportivas, não terá acesso aos centros de treinamento da seleção norte-americana e ficará de fora da tradicional recepção na Casa Branca dos atletas olímpicos.   


Seus colegas de equipe, Gunnar Bentz, Jack Conger e Jimmy Feigen, também envolvidos no episódio, serão suspensos por quatro meses.   


A confusão teve início quando Lochte declarou à mídia internacional que ele e os três outros atletas haviam sido assaltados no caminho de volta à Vila Olímpica após passarem a noite em uma festa. A versão do atleta foi sendo modificada nas entrevistas seguintes, levantando suspeitas das autoridades cariocas. Quando um vídeo que mostra os nadadores embriagados fazendo bagunça em um posto de gasolina veio à tona, Lochte admitiu tem exagerado em seu relato. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos