Chelsea Manning recebe aval para cirurgia de troca de sexo

NOVA YORK, 14 SET (ANSA) - Chelsea Manning, a ex-soldado transgênero norte-americana condenada por revelar segredos do Exército ao site WikiLeaks, anunciou o fim da greve de fome iniciada há dias após o Exército autorizar uma cirurgia para mudança de sexo.   

"Estou infinitamente aliviada pelo fato de que o Exército finalmente está fazendo o que é justo. Eu os felicito por isso.   

Era tudo o que eu queria, que me deixassem ser quem sou", disse Chelsea em comunicado.   

A ex-soldado, antigamente chamada Bradley, pediu às autoridades em 2013 para que pudesse ter acesso a terapia hormonal para trocar de sexo. Em 5 de julho, Manning tentou se matar após ser privada do acesso ao tratamento, necessário para a realização da intervenção cirúrgica. Detida na prisão militar de Fort Leavenworth, uma penitenciária para homens, a ex-informante de 28 anos teria tentado se enfocar.   

No começo da semana vieram à tona as notícias da greve de fome.   

Em nota divulgada por seus advogados, Manning dizia ter seus pedidos "ignorados, adiados, ironizados e postergados" pelo governo dos Estados Unidos.   

Condenada a 35 anos de cadeia, a ex-oficial é considerada responsável por um dos maiores vazamentos de informações confidenciais da história dos Estados Unidos, tendo entregado milhares de documentos e vídeos para o site WikiLeaks, do ativista Julian Assange. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos