Suspeitos de divulgar vídeo íntimo de italiana vão à Justiça

NÁPOLES, 15 SET (ANSA) - Quatro pessoas serão investigadas por difamação por conta de seu envolvimento no caso Tiziana, da jovem italiana de 31 anos que se matou após ter um vídeo íntimo viralizado na Internet.   

Tratam-se de amigos aos quais ela repassou o vídeo no qual faz sexo com um ex-namorado, confiando que não seria compartilhado nas redes sociais. Desta forma, a Promotoria napolitana também estuda abrir um processo pelo delito de invasão de privacidade. Identificada apenas como Tiziana, a jovem foi encontrada morta na casa da mãe dela, onde tinha se refugiado após as imagens irem parar em milhares de sites, muitos deles pornôs.   

Ela entrou na Justiça para a remoção dos vídeos dos diversos sites, como o Facebook, que foram obrigados a tirar as imagens do ar e a ressarcir em 20 mil euros. Isso não impediu, no entanto, que tivesse seu perfil inundado de mensagens ofensivas.   

Por causa da repercussão, a jovem precisou parar de trabalhar e mudou-se de cidade. Ela também já havia entrado com um processo para mudar seu sobrenome e tentar recomeçar a vida.   

A família da vítima pediu hoje Justiça, para que "sua morte não tenha sido em vão".   

O funeral acontece nesta quinta-feira em Casalnuovo.   

O caso está gerando grande revolta, comoção e debates entre os italianos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos