Dirigente italiano pode pegar 16 anos por acidente de trem

LUCCA, 20 SET (ANSA) - Os procuradores da cidade de Lucca, na Toscana, pediram 16 anos de prisão para o ex-CEO da companhia de trens da Itália Mario Moretti pelo acidente ocorrido em Viareggio, em 29 de junho de 2009.   

O pedido desta terça-feira (20) inclui ainda uma outra solicitação de 15 anos de detenção para Michelle Mario Elia, que na época dos fatos atuva na Rede Ferroviária da Itália (RFI). Para outros quatro diretores ligados aos sistemas de trens, Salvatore Andronico, Mario Castaldo, Giovanni Costa e Giorgio Di Marco, foi pedido nove anos de prisão.   

Os seis envolvidos são acusados de "desastre ferroviário culposo, múltiplo homicídio culposo e lesões corporais graves e gravíssimas" no acidente de trem. Além deles, outras 27 pessoas são acusadas de cometer crimes de maior ou menor intensidade que provocaram o acidente.   

Ao todo, 32 pessoas perderam a vida no descarrilamento do trem e outras 25 ficaram feridas. Segundo perícia feita na época, a ruptura do eixo de um dos trens causou o problema. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos