Mulheres acusam Trump de abusos sexuais e magnata reage

WASHINGTON, 13 OUT (ANSA) - A reputação e a situação política do candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, corre o risco de piorar com novas denúncias de mulheres que dizem ter sido abusadas pelo magnata. Após perder um massivo apoio de líderes republicanos e de ser criticado por comentários obscenos sobre mulheres divulgados em um vídeo, Trump foi acusado por mulheres de abusos sexuais. As acusações vieram à tona pelo jornal "The New York Times". Em entrevista ao diário, Jessica Leeds, de 74 anos, disse que, há três décadas, sentou-se ao lado de Trump em um voo, na primeira classe, e que o magnata teria tocado seus seios e tentado colocar a mão dentro de sua saia. "Era como um polvo, estava por todo lugar", disse Leeds em seu depoimento. A mulher contou que quis "socar a tela da televisão" quando viu Trump no debate presidencial, no último domingo, negando que já tenha abusado de alguma mulher. Já Rachel Crooks era uma recepcionista de 22 anos de uma empresa da Trump Tower quando, há uma década, encontrou o magnata dentro do elevador. O republicano forçou um beijo na jovem. "Fiquei chateada por ele ter pensado que eu era tão insignificante a ponto dele poder fazer isso", relatou. A jornalista Natasha Stoynoff, da revista "People", confessou que, em 2005, ao entrevistar Trump em Mar-a-lago, o magnata se aproveitou de um momento de ausência de sua mulher, Melania, para beijar a repórter de maneira forçada. A equipe de campanha de Donald Trump reagiu e disse que o artigo publicado pelo NYT, o jornal mais famoso do mundo, é "totalmente falso". "O fato é que o NYT lançou estas acusações completamente falsas sobre a personalidade de Trump. Isto é muito perigoso", disse Jason Miller, um dos dirigentes da campanha, em um comunicado. "As histórias publicadas pelo The New York Times são uma montagem completa", escreveu Trump em sua conta no Twitter. Por sua vez, o jornal "The Washington Post" anunciou seu apoio à candidatura de Hillary Clinton, democrata e ex-secretária de Estado no primeiro mandato de Barack Obama. "Hillary Clinton tem o potencial para ser uma excelente presidentes. Nós a apoiamos, sem dúvida", afirmou o jornal, em um editorial. Na última sexta-feira, veio à tona um vídeo de Trump gravado em 2005 no qual o republicano dizia, em termos obscenos, que podia fazer "o que quisesse com as mulheres" porque era rico, e que "não se controlava e beijava" as mulheres bonitas. As imagens causaram reações em todo o mundo e líderes republicanos, como John McCain e Condoleezza Rice, tiraram seu apoio ao magnata. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos