UE não consegue enfrentar crise migratória,diz Renzi nos EUA

WASHINGTON E ROMA, 19 OUT (ANSA) - No último dia de sua visita aos Estados Unidos, o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, afirmou que a União Europeia "não é capaz" de gerenciar a crise migratória atual.   

"[A UE] não é capaz de enfrentar o drama da imigração. Há muitos 'parabéns' para a estratégia italiana, mas eles abrem os lábios, mas não as portas. A UE é forte só se faz escolhas concentradas em seu futuro. Se ficar assim, é mais fraca que outras instituições", disse Renzi em uma conversa com os estudantes da Johns Hopkins University nesta quarta-feira (19).   

A fala do premier se refere a ação dos órgãos italianos na busca e salvamento de pessoas que tentam a travessia pelo Mar Mediterrâneo. Porém, depois de receber milhares de pessoas, os outros países europeus acabam não acolhendo os imigrantes.   

O político italiano ainda foi questionado sobre a onda populista que atinge os países europeus, incluindo a Itália. Para ele, essa onda "se esconde na crise econômica e não nasce do medo do terrorismo", como muitos líderes afirmam pelo mundo. Renzi destacou que é preciso "agir rapidamente para levar a mudança" já que "o populismo joga no medo e nós na esperança".   

"Eu tenho ideias diferentes de muitos líderes europeus sobre as questões da imigração e segurança. Os terroristas tentam destruir a vida dia após dia, insinuando um sentimento de preocupação. Está certo que precisamos combater o terrorismo, estamos tentando dar liberdade à Mosul. Mas, acho que não basta apenas uma resposta militar. É preciso uma resposta cultural, nas escolas, na cultura, nos teatros porque os terroristas vem de nossas periferias, das nossas cidades", acrescentou.   

Questionado sobre a saída do Reino Unido do bloco econômico, o chamado "Brexit", o premier italiano afirmou que a União Europeia "ficou em choque, mas o choque terminou muito rapidamente".   

"Eu propus que nós construíssemos uma ideia diferente de Europa, de pensar nas novas gerações. 'Sim, sim', me disseram e depois de três meses voltaram a falar e a discussão era sobre o tempo de saída do Reino Unido. Mas, isso é importante para eles, não para a UE. Para a UE é importante entender seu futuro", afirmou ainda o premier.   

Segundo Renzi, uma prova de "onde está" o futuro do bloco está ocorrendo nesta quarta-feira. "Nos próximos minutos, a sonda Schiaperelli será a primeira missão europeia a pousar em Marte, uma missão guiada pela Itália e que é um símbolo para uma visão de futuro", destacou aos estudantes.   

Antes de falar com os estudantes, Renzi aproveitou a passagem por Washington para visitar o recém inaugurado Museu Nacional da História e Cultura Afro-Americana. O local, idealizado pelo presidente Barack Obama, mostra a importância das comunidades negras para a construção dos Estados Unidos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos