Conselho Eleitoral da Venezuela suspende referendo

CARACAS, 21 OUT (ANSA) - O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela suspendeu o processo de coleta de assinaturas da segunda etapa para requerer um referendo revogatório contra o presidente venezuelano Nicolás Maduro.   

Em nota, a entidade afirmou que vários tribunais penais inferiores entraram com ações alegando que a primeira fase, que recolheu 1% das assinaturas equivalente ao número de eleitores do país, foi fraudada em pelo menos cinco regiões. "Estas decisões têm como consequência a paralisação" da etapa seguinte, que terá que coletar 20% de assinaturas - cerca de quatro milhões de firmas.   

A coleta final, antes de ativar o revogatório, começaria no dia 26 de outubro e a oposição, através da coalizão Mesa de Unidade Democrática (MUD). O secretário-executivo da MUD, Jesús Torrealba, criticou a medida e disse que a "alternativa de luta" não está descartada. "Eles não podem adiar a mudança que o povo está pedindo", acrescentou.   

As pequisas de opinião mostravam que a oposição conseguiria coletar as assinaturas necessárias em todos os estados venezuelanos, abrindo assim o processo para o revogatório. Mesmo que o CNE, que tem a maioria de indicados por Maduro, volte atrás, a manobra atrasa os planos da oposição de retirar o mandatário do poder.   

Isso porque se o processo iniciar em 2017, Maduro poderá sair e deixar seu vice-presidente no lugar. Caso ocorresse ainda neste ano, seriam convocadas eleições gerais. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos