Itália investiga WhatsApp por cessão de dados ao Facebook

ROMA, 28 OUT (ANSA) - A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado, espécie de Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) da Itália, abriu dois procedimentos contra o WhatsApp por supostas violações do código do consumidor no país.   

O primeiro investiga se o aplicativo forçou usuários a aceitarem integralmente sua nova política de privacidade, que prevê o compartilhamento de dados cadastrais com seu controlador, o Facebook. O WhatsApp teria usado uma mensagem que fazia acreditar que seria impossível acessá-lo caso a pessoa não concordasse com as novas regras.   

O segundo procedimento apurará o suposto caráter abusivo de algumas cláusulas inseridas nos termos de uso do aplicativo, principalmente em relação à faculdade de modificar o contrato unilateralmente, à limitação de suas responsabilidades, a interrupções injustificadas do serviço e à escolha apenas de tribunais norte-americanos para julgar controvérsias.   

As regras do WhatsApp foram alteradas no fim de agosto, passaram a valer em 25 de setembro e têm como objetivo aumentar a eficácia dos anúncios do Facebook por meio dos números de telefone dos usuários do aplicativo de mensagens.   

Por conta disso, a empresa de Mark Zuckerberg também está sendo investigada pela Autoridade Garantidora da Proteção dos Dados Pessoais da Itália. Caso os inquéritos avancem, a Coordenação das Associações para a Defesa do Ambiente e dos Direitos dos Consumidores (Codacons) estuda abrir uma ação de classe contra o WhatsApp e o Facebook para indenizar os usuários. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos