Cuba não fala sobre Trump, mas anuncia exercícios militares

Em Havana

  • Rebecca Blackwell - 22.mar.2016/Associated Press

    Raul Castro e Barack Obama

    Raul Castro e Barack Obama

O governo cubano não comentou nesta quarta-feira (9) sobre a vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos desta terça-feira (8), mas anunciou que fará uma semana de exercícios militares em toda a ilha para "enfrentar o inimigo".

Mesmo não se referindo abertamente à mudança de governo nos EUA, que pode comprometer o processo de degelo das relações entre as duas nações americanas, o momento no qual a notícia foi divulgada faz com que ela seja indiretamente direcionada a Trump e aos republicanos. Segundo o jornal governista "Granma", a partir do dia 16 de novembro, daqui há exatamente uma semana, as forças armadas cubanas darão início à Operação Bastião 2016, cujo objetivo é verificar "a preparação das tropas e da população civil para enfrentar diversas possíveis ações do inimigo".   

A publicação ainda afirma que essas manobras militares incluirão "movimentos de tropas e de material bélico, voos de aviões da aeronáutica militar e testes de materiais explosivos". É a sétima vez que o regime dos Castros anuncia esse tipo de exercícios, que acontecem sempre em concomitância com momentos de tensão nos Estados Unidos. A primeira vez que foram organizadas foi em 1980, após as eleições do ex-presidente Ronald Reagan.

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos