Homem é baleado na 3º noite de protestos contra Trump

WASHINGTON, 12 NOV (ANSA) - Milhares de pessoas foram às ruas de várias cidades dos Estados Unidos na última sexta-feira (11), na terceira noite seguida de protestos contra a eleição do republicano Donald Trump para a Casa Branca.   

Gritando o slogan "Not my president" ("Não é meu presidente", em tradução livre), os manifestantes se reuniram em municípios como Miami, Filadélfia, Columbus e, principalmente, Nova York, nos arredores da Trump Tower, onde mora o magnata.   

Em Portland, no estado do Oregon, um homem foi baleado enquanto o protesto atravessava uma ponte, fazendo a polícia convidar os cidadãos a "deixarem imediatamente a zona". As forças de segurança também usaram gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral para dispersar a multidão.   

O ato havia começado de maneira pacífica, mas acabou ganhando contornos violentos quando os manifestantes se uniram a um grupo anarquista, danificando carros e edifícios. Críticos do presidente eleito foram às ruas todas as noites desde quarta-feira passada (9), quando foi confirmada a vitória do republicano.   

Em seu perfil no Twitter, Trump reclamou que as manifestações contra ele são "injustas" e "incitadas pela imprensa". Para este sábado (10), mais de 10 mil pessoas confirmaram participação em uma passeata até a Trump Tower.   

Apesar de ter perdido no voto popular, o republicano derrotou a magnata Hillary Clinton no colégio eleitoral, já que ficou em primeiro em diversos estados-chave, como Flórida, Wisconsin, Ohio e Pensilvânia, que tiveram disputas bastante apertadas.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos