Assange é interrogado na Embaixada do Equador em Londres

LONDRES, 14 NOV (ANSA) - O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, começou a ser interrogado nesta segunda-feira (14) por um promotor do Equador na embaixada do país latino em Londres, capital do Reino Unido.   

O depoimento foi concedido a pedido da Justiça da Suécia, que investiga o ativista australiano por dois supostos casos de abuso sexual, e ocorreu na presença da promotora sueca Ingrid Isgren. O interrogatório, que deve continuar nos próximos dias, foi negociado durante meses e só acontece sob a condição de que as perguntas sejam feitas por um equatoriano.   

Há um mandado de prisão europeu contra Assange, que vive há mais de quatro anos na Embaixada do Equador em Londres para não ser extraditado à Suécia. Segundo ele, Estocolmo quer prendê-lo para depois entregá-lo aos Estados Unidos, onde pode ser condenado por ter divulgado milhares de documentos secretos que constrangeram Washington perante diversos países.   

As denúncias contra o ativista foram apresentadas por duas mulheres com quem ele teve relações sexuais em 2010. Uma delas diz que Assange violou de propósito um preservativo, enquanto a outra afirma que o fundador do WikiLeaks forçou um segundo ato sexual enquanto ela cochilava. O australiano alega que as relações foram consensuais e que o inquérito sueco tem motivações políticas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos