Paquistão acusa Índia de matar 11 civis na Caxemira

MUZAFFARABAD, 23 NOV (ANSA) - O Paquistão denunciou nesta quarta-feira (23) a morte de 11 civis por tiros de artilharia disparados pela Índia na Caxemira, região disputada pelas duas potências nucleares desde o fim da colonização britânica, em meados do século 20.   

Segundo Islamabad, as balas atingiram uma casa no distrito de Kotli e um ônibus que viajava pelo vale de Neelam. Ambas as zonas ficam a poucos quilômetros da chamada Linha de Controle (LOC), divisa que separa as áreas em poder dos dois países. Nove vítimas estavam no veículo, e duas, na residência.   

Por meio de um comunicado, o Exército do Paquistão disse que está respondendo aos ataques com tiros contra posições da Índia.   

Por sua vez, um militar indiano de alta patente, falando na condição de anonimato, afirmou que as ações desta quarta são uma retaliação ao atentado contra uma patrulha do país na última terça-feira (22), que matou três soldados.   

A tensão na Caxemira vem se elevando nas últimas semanas, desde que militantes atacaram uma base da Índia na região, em setembro. Nova Délhi diz que o grupo era apoiado pelo Paquistão, que nega a acusação. De lá para cá, pelo menos 18 pessoas, entre militares e civis, já morreram em tiroteios.   

Duas das três guerras entre Índia e Paquistão desde 1947 envolveram a Caxemira, que é dividida entre os dois países, mas reivindicada em sua integridade por ambos. Em 2014, o Nobel da Paz foi entregue à paquistanesa Malala Yousafzai e ao indiano Kailash Satyarthi, em uma tentativa de contar as hostilidades na região. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos