Câmara dos EUA rejeita fechamento de Guantánamo

NOVA YORK, 2 DEZ (ANSA) - Com 375 votos a favor e 34 contra, a Câmara dos Estados Unidos aprovou por uma ampla maioria nesta sexta-feira, dia 2, um pacote para o Departamento de Defesa do país para 2017 de US$ 611 bilhões que também acaba freando o fechamento do presídio de segurança máxima de Guantánamo, em Cuba. A nova lei, que agora terá que ser aprovada pelo Senado, rejeita uma série de propostas-chaves do presidente norte-americano, Barack Obama, entre elas fechar o polêmico complexo carcerário da ilha latina. Com a aprovação dessa lei pelo Senado, o republicano Donald Trump, que comandará a Casa Branca pelos próximos quatro anos, pode começar a comemorar já que, em várias ocasiões durante sua campanha eleitoral, comentou sua intenção de manter aberto o presídio e voltar a preenchê-lo de "pessoas más". Se aprovada, a nova medida, além de Guantánamo também proibirá a diminuição do número de bases norte-americanas no mundo e aumentará o salário dos militares norte-americanos em mais de 2%, o aumento mais significativo na área nos últimos 6 anos.   

Além disso, o pacote também prevê que o número de soldados do Exército não fique abaixo de 476 mil unidades e que a Marinha e a Aeronáutica do país também recebam um aumento de funcionários de ao menos 7 mil unidades. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos