Em meio a crise, Itália mantém desemprego estável

ROMA, 07 DEZ (ANSA) - A taxa de desemprego na Itália permaneceu estável em 11,6% no terceiro trimestre de 2016, na comparação com os três meses anteriores, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (7) pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat).   

No entanto, em relação ao mesmo período do ano anterior, o índice cresceu 0,4 ponto percentual. Além disso, o nível de desocupação entre os jovens de 15 a 24 anos subiu de 36,8% no segundo trimestre para 37,5% no terceiro. Por outro lado, na comparação anual, a taxa teve queda de 1,8 ponto.   

De acordo com o Istat, há 2,98 milhões de desempregados no país, que ainda patina para sair da crise econômica iniciada em 2008 e vive um delicado momento político, com a renúncia do primeiro-ministro Matteo Renzi após sua derrota no referendo constitucional do último domingo (4).   

A Itália vinha de cinco trimestres consecutivos de crescimento no nível de ocupação, mas o número de pessoas com emprego caiu 14 mil entre julho e setembro de 2016. O temor dos mercados é que um eventual impasse na formação de um novo governo ou as incertezas levantadas por eleições antecipadas diminuam ainda mais o ritmo da retomada italiana. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos