UE acusa Facebook de mentir na compra do Whatsapp

ROMA, 21 DEZ (ANSA) - Autoridades de fiscalização da União Europeia (UE) acusaram o Facebook de fornecer informações enganosas durante a avaliação para aquisição do WhatsApp.   

Caso a denúncia seja confirmada, a empresa de Mark Zuckerberg receberá a cobrança de uma multa de 1% sobre o valor do faturamento total de seus negócios. No entanto, a rede social tem até 31 de janeiro de 2017 para responder a acusação à Bruxelas.   

Em comunicado divulgado nesta terça-feira (20), a Comissão Europeia para a Concorrência afirmou que as objeções não devem comprometer a aprovação da fusão avaliada em US$ 22 bilhões em 2014.   

Durante as negociações, Bruxelas havia perguntado sobre uma mudança na política de privacidade do WhatsApp, na qual o serviço informou que os números de telefone de alguns usuários seriam compartilhados com o Facebook, o que desencadeou investigações das autoridades de proteção de dados da UE.   

"As empresas são obrigadas a fornecer informações precisas à Comissão durante as investigações sobre fusões, e deve levar esta obrigação a sério. Nossa análise eficaz depende da precisão das informações fornecidas pelas empresas envolvidas", afirmou Margrethe Vestager, comissária da UE.   

Segundo a Comissão, o Facebook indicou em seu pedido de aquisição que não seria capaz de combinar as contas de usuários das duas empresas. "Neste estágio, a Comissão, portanto, expressa preocupação de que o Facebook intencionalmente, ou de forma negligente, submeteu informação incorreta ou enganosa, descumprindo as obrigações dentro da regulação de fusões da UE", acrescenta o documento. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos