Após um Natal fraco, começam promoções de inverno na Itália

ROMA, 2 DEZ (ANSA) - Teve início nesta segunda-feira, dia 2, nas regiões italianas da Sicília e da Basilicata, as promoções de inverno de 2017. Nesta terça-feira (3), será a vez das lojas do vale d'Aosta começarem a abaixar os seus preços, que serão seguidas na próxima quinta-feira (5) pelo comércio das demais regiões do país.   

Segundo as estimativas do Escritório de Estudos do Confcommercio (Confederação Geral Italiana das Empresas, das Atividades Profissionais e do Trabalho Autônomo), cada família deverá gastar 344 euros para comprar roupas, calçados e acessórios em um valor total de 5,3 bilhões de euros.   

No entanto, o presidente da Federazione Moda Italia e vice-presidente da Confcommercio, Renato Borghi, admite que os gastos não devem compensar o fato de que as vendas no Natal não foram tão boas.   

"Após um Natal mais ou menos, a esperança passa agora para as promoções. Não haverá, porém, promoções mirabolantes. A nossa estimativa é que os italianos gastarão medianamente com no ano anterior", disse o empresário. "As vendas de final de estação sempre são uma extraordinária oportunidade para os consumidores, mas para nós comerciantes, não serão suficientes para preencher um buraco de consumo condicionado em um andamento sempre mais incerto e flutuante", constatou Borghi.   

"Ou seja, mesmo com os tímidos sinais de confiança registrados em dezembro, os eventos terroristas e de natureza sócio-política não ajudam a trazer a estabilidade que precisamos para enfrentar melhor o futuro e confiar na saída do nosso país da crise", explicou o italiano.   

Já a Federconsumatori (Federação Nacional de Consumidores e Usuários) e a Adusbef (Associação de Defesa dos Usuários de Serviços Bancários e Financeiros) preveem um cenário ainda mais negativo para este setor do comércio.   

Em uma nota divulgada pelas duas instituições, apenas 39% das famílias italianas farão compras e cada uma delas terá um gasto médio de 179,92, com uma grande diferença entre Norte e Sul do país.   

"Tais dados deixam transparecer a situação de forte desconforto que muitas famílias estão vivendo, ao que se unem atitudes de cautela e preocupação já anunciadas para 2017 que, juntas com os últimos aumentos tarifários de luz e gás, além das tarifas das autoestradas, amontoarão mais de 771 euros anuais por família", explicou o comunicado.   

A Codacons (Coordenação das Associações para a Defesa do Ambiente e dos Direitos dos Usuários e dos Consumidores) também não acredita muito no sucesso das promoções de inverso já que, segundo suas pesquisas, apenas 45% das famílias italianas irão aproveitar as promoções e o dinheiro que será gasto não deve superar os 175 euros por família.   

"Já é evidente a todos como as promoções de fim de estação são obsoletas. Trata-se de uma prática medieval que perdeu o charme entre os consumidores, como demonstram os dados trágicos das vendas dos últimos anos", disse o presidente da organização Carlo Rienzi. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos