Itália investiga 'ato de terrorismo' contra correios

TURIM, 02 JAN (ANSA) - A Procuradoria de Turim, no norte da Itália, investiga a hipótese de "ato de terrorismo" no inquérito sobre os ataques contra caixas eletrônicos da Poste Italiane, empresa de correios do país, realizados na cidade em 2016.   

Em abril, junho e novembro do ano passado, foram colocadas bombas caseiras nos equipamentos em protesto contra a repatriação de imigrantes pelas autoridades italianas. Os atos foram inspirados em um texto que circulara na web em 2015.   

No documento, a Poste é acusada de "colaborar com a máquina de expulsões" ao "colocar à disposição [do governo] voos fretados de sua companhia aérea, a Mistral Air". Para os investigadores, trata-se de atentados de matiz "anárquica".   

Atos parecidos também foram registrados em Gênova e Florença, mas nestes casos houve reivindicações explícitas em páginas de anarquismo na internet.   

Além disso, no dia 1º de janeiro de 2017, um policial perdeu um olho e uma mão ao tentar desarmar uma bomba que havia sido colocada em frente a uma livraria em Florença ligada ao grupo neofascista CasaPound. Até o momento, ninguém assumiu a autoria do ataque. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos