Desemprego na Itália cresce e chega a 11,9%, aponta Istat

ROMA, 9 JAN (ANSA) - Em novembro do ano passado, o número de empregados na Itália cresceu 0,1% em relação ao mês anterior, o equivalente a 19 mil pessoas, e teve um aumento de 0,9% sobre novembro de 2015, ou seja, 201 mil italianos a mais.   

A informação é do Instituto de Estatísticas Italiano (Istat) que explicou que esse crescimento se deu principalmente entre as mulheres e as pessoas com mais de 50 anos. De acordo com o Istat, a taxa de ocupação na Itália foi de 57,3% em novembro, um aumento de 0,1% em relação a outubro do ano passado.   

No entanto, o instituto ressalta que mesmo com crescimento do número de empregados, a taxa de desocupação no país em novembro voltou a crescer. Essa taxa no mês retrasado ficou em 11,9%, um aumento de 0,2% na base mensal e de 0,5% em relação a novembro de 2015, a porcentagem mais alta após a de junho do ano retrasado.   

Em números absolutos, os desocupados na Itália naquele mês eram 3.089 milhões, um aumento de 57 mil em relação a outubro e de 165 mil em respeito a novembro de 2015. Além disso, o Istat também mostrou que o crescimento da taxa de ocupação se concentrou exclusivamente na parcela dos trabalhadores com mais de 50 anos. A ocupação entre 50 e 64 anos, é de 58,8%, um valor 0,5% superior a outubro de 2016 e maior até que a taxa geral da Itália (57,3%).   

Já a faixa etária de 35 a 49 anos permaneceu estável, mas para os mais jovens, de 15 a 24, a quantidade de empregados diminuiu drasticamente. Em novembro, a taxa de desocupação para essa idade foi de 39,4%, um aumento de 1,8% em relação ao mês anterior e o maior número desde outubro de 2015. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos