Estado Islâmico explode principal fonte de gás da Síria

BEIRUTE, 9 JAN (ANSA) - O grupo terrorista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) explodiu e danificou o maior depósito de gás natural da Síria, localizado na região central do país.   

Inicialmente a explosão foi anunciada pela agência de notícias dos jihadistas, a "Amaq", que publicou uma foto e um vídeo que mostravam alguns militantes do grupo na sede da Hayyan Gas Company, localizada na província de Homs, um pouco antes dos explosivos terem sido detonados na tarde do último domingo (8).   

Segundo o site "Al-Masdar News", as imagens divulgadas pela "Amaq" realmente são de Hayyan. No entanto, ainda não é possível confirmar se o poço de gás natural, que antes de 2011 chegava a produzir cerca de 3 milhões de metros cúbicos de gás por dia, foi completamente destruído.   

Por ser a principal fonte de gás do país, milhões de sírios sofrerão com a falta de um aquecimento adequado para os próximos meses de inverno. Negociações de paz - O presidente sírio, Bashar al-Assad, afirmou nesta segunda-feira, dia 9, que o seu governo está pronto para negociar com os rebeldes "sobre tudo", mas ressaltou que ainda não está claro quem representará a oposição nas discussões e que uma data para isso ainda não foi marcada.   

As negociações de paz entre o governo sírio e os grupos rebeldes começarão no dia 23 de janeiro em Astana, no Cazaquistão, segundo o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu. A Turquia, ao lado da Rússia e do Irã, foi o principal negociador do acordo de cessar-fogo assinado pelos dois lados do conflito sírio que entrou em vigor em 30 de dezembro do ano passado.   

No entanto, de acordo com a imprensa estatal síria SANA, Assad ainda não sabe se as negociações realmente terão início neste mês. O mandatário disse que "quando a data da conferência for marcada" a delegação do governo estará pronta para ir para Astana.   

Segundo o presidente, "nós estamos prontos para negociar sobre tudo", mas afirmou que se os rebeldes quiserem abordar "o ponto de vista deles eles têm que discutir a constituição", que só pode ser mudada se for colocada sob um referendo e a população for favorável à mudança.   

Além disso, o ditador sírio também perguntou quais seriam os representantes da oposição que estarão presentes nas negociações. "Quem estará lá para o outro lado? Nós não sabemos isso ainda. Será uma oposição realmente síria?". Sobre isso, Assad disse que "assuntos da Síria" devem ser tratados por grupos apenas de sírios.   

No entanto, alguns dos principais grupos rebeldes sírios, que lutam sobre o lema "Free Syrian Army" ("Exército Livre da Síria", em tradução livre), congelaram todas as discussões sobre ir às negociações de Astana devido a violações do cessar-fogo que aconteceram em Wadi Barada, perto de Damasco.   

Papa Francisco - O papa Francisco pediu nesta segunda, que a "comunidade internacional trabalhe com diligência para dar vida a uma negociação séria, que coloque para sempre a palavra fim no conflito na Síria".   

De acordo com o Pontífice, os confrontos, que já duram mais de quatro anos, estão provocando "um verdadeiro desastre humanitário". "Cada uma das partes deve considerar prioritário o respeito ao direito humanitário internacional, garantindo a proteção dos civis e a necessária assistência humanitária à população", ressaltou Francisco que também desejou que "a trégua seja a esperança para todo o povo sírio". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos