Favorito do Globo de Ouro, 'La La Land' leva 7 prêmios

ROMA, 9 JAN (ANSA) - Cada vez mais o longa "La La Land: Cantando Estações" se confirma como o filme do ano. Na premiação da 74ª edição do Globo de Ouro, que aconteceu na noite do último domingo, dia 8, na Califórnia, a obra venceu todas as categorias das quais foi indicado.   


Sendo assim, no final da noite, o filme recebeu sete prêmios. O de Melhor Comédia ou Musical, o de Melhor Atriz para Comédia ou Musical para Emma Stone, o de Melhor Ator de Comédia ou Musical para Ryan Gosling, o de Melhor Diretor e Melhor Roteiro para Damien Chazelle, o de Melhor Canção Original e o de Melhor Trilha Sonora, os dois para Justin Hurwitz.   


O filme, que já era favorito de Hollywood e que pode também sair vitorioso no Oscar desse ano, bateu um recorde e se tornou no longa que mais venceu prêmios da história do Globo de ouro.   


Já o Melhor Filme de Drama foi "Moonlight: Sob a Luz do Luar", que recebeu apenas essa categoria mesmo tendo sido indicado originalmente a seis delas. A categoria de Melhor Ator de Drama foi recebida por Casey Affleck pelo longa "Manchester à Beira-Mar" e a de Melhor Atriz de Drama foi a francesa Isabelle Huppert pelo filme "Elle", que também venceu o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro.   


Além dos longas, o Globo de Ouro também é conhecido por premiar as melhor séries do momento. Sendo assim, "The Crown" foi a vencedora de Melhor Série de Drama" e a protagonista do programa, Claire Foy, venceu a categoria de Melhor Atriz de Série de Drama. Já a melhor Série de Comédia foi para o seriado "Atlanta", que também conquistou o prêmio de Melhor Ator de Série de Comédia para Donald Glover.   


Meryl Streep - A homenageada de 2017 da premiação, a renomada atriz Meryl Streep, que recebeu o Cecil B. De Mille Award pelo conjunto da sua obra, aproveitou o seu discurso na cerimônia do Globo de Ouro para fazer uma crítica ao presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.   


Inconformada com a vitória do republicano há tempo, Streep condenou a xenofobia do magnata e a sua vontade de construir um muro entre os EUA e o México e disse que "se mandarmos todos os estrangeiros embora, não vamos ter nada para assistir a não ser futebol e MMA. E isso não é o que a arte deve ser".   


A atriz ainda fez uma piada com o fato de que Trump venceu as eleições Presidenciais no colégio eleitoral, mas não no voto popular. "Este é o Globo de Ouro. Um dos poucos momentos em que a América ainda honra o voto popular", disse Streep. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos