Ataque em praia no México pode ter sido vingança de cartel

CIDADE DO MÉXICO, 16 JAN (ANSA) - Um homem armado invadiu uma discoteca em Playa del Carmen, balneário turístico situado perto de Cancún, no México, e matou pelo menos cinco pessoas.   

Entre as vítimas estão quatro homens e uma mulher, sendo que três eram funcionários da boate. Em coletiva de imprensa, o promotor do estado de Quintana Roo, Miguel Ángel Pech Cen, disse que o balanço de mortos inclui dois canadenses - um deles supervisor de segurança da casa noturna -, um italiano (identificado como Daniel Pessina) e um colombiano que tentaram repelir o ataque.   

Segundo o Ministério das Relações Exteriores da Itália, a Embaixada do país na Cidade do México está trabalhando "em estreito contato" com os familiares de Pessina para garantir a eles "toda a assistência nesse momento difícil".   

Ele era natural de Milão, mas vivia e trabalhava havia anos no vilarejo turístico de Sayulita, onde comandava uma pizzaria ao lado da companheira, a também italiana Giusy. Pessina provavelmente estava de férias em Playa del Carmen, já que as duas localidades ficam a quase 2,5 mil km de distância.   

A quinta vítima é uma mulher que teria caído durante a confusão que se criou na discoteca. No entanto, Cen descartou a hipótese de atentado terrorista. O tiroteio ocorreu por volta das 3h da madrugada (6h em Brasília) desta segunda-feira (16) e também deixou 15 feridos, incluindo cidadãos estrangeiros.   

O crime atingiu a casa noturna Blue Parrot, que recebia o festival de música eletrônica BPM. "É com muita tristeza que compartilhamos as notícias confirmadas pela polícia de que a ação de um sujeito solitário na Blue Barrot causou resultados fatais", afirma uma nota emitida pela organização do evento.   

Chegou-se a divulgar na imprensa local que o ataque teria sido realizado por mais de um homem e que três pessoas já teriam sido presas.   

A possível explicação para o tiroteio seria uma vingança de um cartel de narcotraficantes contra os donos da discoteca, que não teriam permitido venda de drogas no festival. Um indício disso seria a preferência do atirador por funcionários da boate.   

Barbara Bottai, italiana de 35 anos, estava em um bar com dois conterrâneos em Playa del Carmen quando viu um "mar humano atravessar a rua". No início, ela pensou tratar-se de um tsunami, mas depois ouviu gritos pedindo para as pessoas deitarem no chão e disparos.   

Situada na costa oriental da península de Yucatán, Playa del Carmen é um dos destinos mais famosos da chamada Riviera Maya, no mar do Caribe. A praia fica cerca de 70 km ao sul de Cancún, outro polo turístico da costa mexicana, e passou por um intenso processo de desenvolvimento nos últimos anos.   

Em 2003, o número de visitantes anuais em Playa del Carmen ficava em torno de 50 mil, número que hoje chega a 200 mil, um crescimento de 300%. O balneário é bastante procurado por italianos e até 2011 teve um jornal editado no idioma do país europeu, o "Sole d'Italia". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos