Em meio à crise, ex-presidente da Gâmbia aceita deixar poder

ROMA, 20 JAN (ANSA) - O presidente derrotado nas eleições da Gâmbia de 1º de dezembro do ano passado, Yahya Jammeh, concordou nesta sexta-feira, dia 20, em deixar o poder e sair do país. A informação é o mandatário eleito da nação africana, Adama Barrow, que jurou o cargo nesta quinta-feira (19).   

"Eu gostaria de informar que Yahya Jammeh concordou em deixar o cargo. Ele deverá sair de Gâmbia hoje", afirmou Barrow, de 51 anos, na sua conta no Twitter. Com a saída do então ex-presidente do poder e do país a crise na região parece ter um fim.   

Jammeh já havia recebido um ultimato da Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental (Cedeao) de que se ele não aceitasse a proposta de deixar a nação sob a proteção do presidente da Guiné, Alpha Condé, até o meio dia desta sexta, tropas irão passar à intervenção militar.   

A situação na Gâmbia se complicou no dia 9 de dezembro do ano passado, quando Jammeh, que entrou no poder através de um golpe de Estado em 1994, se negou a aceitar sua derrota nas eleições e a vitória de seu adversário, Barrow.   

De acordo com as Nações Unidas, o ex-presidente deve pedir algumas medidas de segurança para deixar o país. Entre os países para os quais deve pedir asilo estão Guiné, Mauritânia e Nigéria. Este último, junto com Senegal, havia anunciado que se o resultado das eleições não fosse cumprido, seu Exército iria atacar o país. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos