Italiana morta na Bahia está há 2 meses em necrotério

RAGUSA, 23 JAN (ANSA) - Após dois meses da morte da italiana Pamela Canzonieri, encontrada no Morro São Paulo, na Bahia, seu corpo ainda não foi enterrado devido a falta de autorização da justiça brasileira.   

Depois do funeral, que aconteceu no dia 28 de novembro, na Catedral de Ragusa, na Itália, o corpo de Pamela passou a ser de responsabilidade da Procuradoria de Ragusa e foi transferido para a sala mortuária do hospital da cidade, onde espera por uma nova autópsia.   

No entanto, ainda não foi possível concluir o trâmite porque as autoridades do Brasil precisam liberar essa autópsia, tendo em vista que o autor do crime, o brasileiro Antonio Patricio dos Santos, conhecido como "Fabrício", confessou o crime, mas alega não se lembrar dos detalhes já que estava sobre o efeito de cocaína. A primeira autópsia realizada pelo médico Giuseppe Iuvara apontou que a causa do falecimento de Pamela foi asfixia causada por estrangulamento. A italiana estava de férias no Morro São Paulo, na Bahia, e foi encontrada morta em uma casa em Mangaba no dia 17 de novembro. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos