Por verba, Miami desiste de proteger imigrantes ilegais

NOVA YORK, 29 JAN (ANSA) - Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçar cortar a verba federal para a cidade de Miami, a prefeitura local informou que não será mais uma "cidade santuário" para imigrantes ilegais.

O prefeito do condado de Miami-Dade, Carlos Gimenez, informou que irá rever suas políticas, cortando a proteção aos clandestinos que morarem na cidade. Gimenez pediu que as forças policiais cumpram as ordens vindas de Washington para evitar o corte de fundos.

Desde 2013, o local havia se recusado a colocar na prisão os imigrantes ilegais e protegia essa população. Nos EUA, há cerca de 300 "cidades-santuário", onde as autoridades políticas e policiais se recusam a prender e deportar imigrantes clandestinos.

As maiores cidades do tipo no país são Nova York, Los Angeles e São Francisco, que prometem continuar mantendo sua promessa de não deportar imigrantes ilegais. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos