Itália não pode cortar impostos por causa de dívida, diz FMI

NOVA YORK, 30 JAN (ANSA) - Em um relatório divulgado nesta segunda-feira (30), o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou que a Itália tem pouco espaço para reduzir impostos devido a sua elevada dívida pública.   

Atualmente, o débito italiano gira em torno de 130% de seu Produto Interno Bruto (PIB), mais que o dobro do limite de 60% previsto pelo Pacto de Estabilidade da União Europeia. "A Itália é um exemplo típico de país com alta relação entre PIB e dívida pública, é uma nação que tem pouco ou nada de espaço fiscal", diz o estudo "Política Fiscal na Zona do Euro".   

Segundo o FMI, o principal desafio da Itália é promover uma "política fiscal bem ancorada em uma estratégia de médio prazo".   

A elevada dívida pública impede que o país adote medidas mais efetivas de incentivo ao crescimento, em um momento em que sua economia ainda luta para sair da crise.   

Além disso, a península tem desembolsado bilhões de euros para lidar com questões emergenciais, como a série de terremotos iniciada no ano passado e o acolhimento a imigrantes. Contudo, de acordo com o Fundo Monetário, esse tem se tornado um problema da zona do euro como um todo.   

Em seu relatório, a entidade afirma que o débito dos países que usam a moeda comum estava abaixo dos 60% na década de 1990, mas ultrapassou os 90% em 2015. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos