Carlos Slim elogia Trump e aumenta boatos de candidatura

CIDADE DO MÉXICO, 31 JAN (ANSA) - O quarto homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim, pode ter começado a dar seus primeiros passos para concorrer à Presidência do país nesta semana.   

O empresário convocou uma coletiva de imprensa, pela primeira vez, para dar opiniões políticas sobre o cenário nacional e internacional e aproveitou o momento para elogiar o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.   

"Trump não é o Exterminador, é o Negociante", disse em meio à risadas aos jornalistas e pedindo para que os mexicanos não tenham medo do novo mandatário.   

A fala vem em um dos piores momentos na história na relação entre EUA e México, após o anúncio da construção do muro na fronteira entre os dois países e do cancelamento da viagem de Enrique Peña Nieto a Washington.   

Ao ser questionado se vai se candidatar para as eleições de 2018, Slim apenas agradeceu "o apoio" dos mexicanos ao seu nome, deixando no ar a possibilidade de se candidatar.   

Os analistas políticos estão avaliando que a presença do empresário na mídia, com um crescente aumento nos últimos meses, seja parte de uma campanha para a candidatura de Slim à Presidência, que surgiu entre os mexicanos nas redes sociais.   

O professor e comentarista político mexicano Ricardo Raphael afirma que é possível que essa campanha "tenha sido lançada por pessoas próximas" ou talvez que o "engenheiro", como é conhecido entre os mexicanos, "surgiu como uma resposta genuína à crise que estamos enfrentando".   

Para ele, a ascensão de Slim é "natural" dado "um governo e os partidos com níveis de aprovação muito baixos" e em um momento de "embate internacional liderado por Trump".   

O empresário foi o único mexicano a se reunir com Trump após a vitória eleitoral do norte-americano, no dia 17 de dezembro, e é um homem popular entre os chamados "millennials", os jovens e adultos entre 20 e 30 anos.   

Uma pesquisa divulgada em dezembro do ano passado, mostrou que Slim poderia ficar em terceiro lugar em um pleito em 2018, atrás do chefe do governo mexicano, o representante da esquerda Andrés López Obrador, e a ex-primeira dama de direita Margarita Zavala.   

Isso seria possível mesmo sem Slim ter feito sequer um ato de campanha eleitoral.   

"Nunca antes Slim tinha convocado uma coletiva de imprensa com o propósito de enviar uma mensagem política e nesta ocasião, demorou mais de uma hora fazendo-a", disse ainda Raphael.   

Um vídeo que destaca as qualidades do magnata de 76 anos, descendente de uma família de libaneses e muito mais respeitado que os políticos do país, viralizou nas redes sociais há algumas semanas.   

Nos comentários, entre outras coisas, os mexicanos afirmam que ele "não vai roubar" porque "é o homem mais rico do mundo" e "não tem compromissos com ninguém". Outros ainda destacam que ele "não necessita do dinheiro de ninguém" e o único mexicano que "Trump tem medo", sem contar aqueles que dizem que Slim "faz mais pelo México do que os políticos usando seu próprio dinheiro".   

Com o magnata não se identifica com nenhum partido mexicano, os especialistas acreditam que ele lançará uma campanha como independente.   

O empresário mexicano tem uma fortuna estimada em US$ 50 bilhões, segundo a revista norte-americana "Forbes" e atua fortemente no setor de telecomunicações. Slim foi o homem mais rico do mundo entre os anos de 2010 e 2012. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos