PF mira em operador de Cabral em nova fase da Lava Jato

SÃO PAULO, 2 FEV (ANSA) - O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) deram início nesta quinta-feira, dia 2, à terceira fase da Operação Calicute, ligada à Lava Jato no Rio de Janeiro.   


Nesta quinta, os oficiais da PF cumprirão o mandato de prisão preventiva contra o operador que cuidava das finanças do esquema de cobrança de propina liderado pelo ex-governador do Rio Sergio Cabral, Ary Ferreira da Costa Filho, mais conhecido como Aryzinho, que teria lavado mais de R$ 8 milhões. A Polícia Federal também cumprirá mais de 10 mandatos de busca e apreensão nos bens de Ary e de pessoas ligadas a ele. O sigilo bancário e telefônico de Ary já foi quebrado pela Justiça, que também já determinou o sequestro dos seus bens.   


Aryzinho começou a trabalhar com Cabral na década de 1980 e em 1996 passou a ocupar cargo comissionado pelo ex-governador e na época deputado estadual. Ary também teve passagens por secretárias do Rio de Janeiro e se tornou ex-chefe do Executivo do estado, também estando até poucos dias no governo de Luiz Fernando Pezão, o sucessor de Cabral. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos