Agressor do Louvre quebra silêncio e dá depoimento à polícia

PARIS, 7 FEV (ANSA) - O egípcio de 29 anos que agrediu policiais no Museu do Louvre na semana passada, em um episódio classificado como tentativa de terrorismo pelas autoridades francesas, decidiu quebrar o silêncio e responder, pela primeira vez, às perguntas da polícia. De acordo com o jornal "L'Express", Abdallah El-Hamahmy confirmou sua identidade e sua nacionalidade aos investigadores, após ter se recusado duas vezes domingo passado (5) a responder aos policiais. "Ele deu sua versão dos fatos", disse uma fonte ao jornal. O homem está internado no Hospital Georges Pompidou, em Paris, porque precisou passar por uma cirurgia no abdômen. Na última sexta-feira (3), o homem tentou entrar com duas mochilas e dois facões no Museu do Louvre, mas foi impedido por militares. O egípcio, então, reagiu e os agentes dispararam cinco tiros contra ele. O incidente foi classificado como uma tentativa de terrorismo pelas autoridades de França, que investigam o caso.   

O país está em nível máximo de segurança desde os atentados de 13 de novembro de 2015 cometidos pelo Estado Islâmico (EI). Nos últimos dois anos, a França também sofreu o massacre no jornal "Charlie Hebdo" e o ataque com um caminhão em Nice. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos