Após acordo com Farc, Colômbia quer impulsionar turismo

BOGOTÁ, 7 FEV (ANSA) - Por OSCAR ESCAMILLA - A Colômbia está prestes a emergir como um dos próximos destinos descobertos pela indústria global, como afirmado por Daniel Houghton, diretor executivo da "Lonely Planet", um dos principais guias de viagem internacional.   

"Me parece que nos próximos anos vai haver muitissimo interesse não somente das pessoas que viajam, mas como também de companhias e da indústria do turismo, que ficarão muito animados de trazer pessoas à Colômbia", afirmou à ANSA Houghton.   

O norte-americano visitou o país pela primeira vez esta semana e ficou "impressionado" com o que encontrou. "É um país impressionante pelas cidades, a comida, a arquitetura, o calor das pessoas", acrescentou ele que destacou "os parques nacionais e a fauna silvestre como as mais diversificadas do mundo".   

A Colômbia esteve nos últimos 50 anos sepultada no marasmo de sua própria violência. No entanto, com a assinatura do acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), o principal fator de desestabilização e foco da violência local, foi iniciada uma mudança para a percepção externa do país sul-americano interessado em construir uma nova imagem no turismo internacional.   

Para Houghton, o interesse que começou a despertar na Colômbia "certamente tem a ver com o processo de paz porque o país sofreu um impressionante desenvolvimento nos últimos anos depois de muito trabalho".   

A aposta do governo é de que nos próximos dois anos o país, que implementou uma intensa campanha de marketing internacional e uma mudança cultural interna, alcance ao menos 4,8 milhões de visitantes.   

"A Colômbia está em um momento muito especial, em um momento em que os turistas internacionais querem conhecer o país, é as oportunidades que os colombianos têm para fazer bem as coisas", disse Maria Claudia Lacouture, ministra do Comércio, Indústria e Turismo da Colômbia.   

Lacouture liderou um dos painéis sobre turismo que fizeram parte da programação da Cúpula de Prêmios Nobel da Paz, que foi realizado na última semana em Bogotá e que trouxe ao país cerca de 30 personalidades.   

Há algumas semanas, a ministra se reuniu com a maioria dos operadores turisticos para convencê-los da necessidade de promover outros destinos diferentes de Cartagena, Bogotá ou Medellín.   

Neste encontro, Lacouture explicou a estretégia do governo para abrir os caminhos no mundo do turismo internacional, que consiste em criar 12 corredores que incluem desde destinos reconhecidos e já consolidados como aqueles que estão ocultos.   

Em entrevista à ANSA, Houghton afirmou que é claro que "a reputação do país evoluiu e mudou", tanto é que no ano passado recebeu "mais de um milhão de visitantes" na "nossa página da Colômbia no portal" da Lonely Planet, uma marca nunca registrada pelo guia. "Assim me parece que a Colômbia segue por um bom caminho e neste momento é continuar esse bom trabalho. É muito emocionante ver um país que está mudando e crescendo dessa forma", disse ele. Lonely Planet recomenda a Colômbia como um dos 10 países para visitar este ano em seu "Best in Travel 2017", seguindo a sugestão feita pelos viajantes e sua própria equipe editorial.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos