Parlamento de Israel aprova lei que regulariza assentamentos

TEL AVIV, 6 FEV (ANSA) - O Parlamento de Israel aprovou na noite de ontem (5) a controversa lei que regulariza assentamentos em terrenos palestinos privados na Cisjordânia. O texto recebeu 60 votos a favor e 52 contra no Knesset. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, absteve-se de votação porque estava voltando de uma viagem a Londres, mas, desde o início da elaboração da lei, o premier defendeu-a. A votação ocorreu em um clima de tensão, enquanto o líder oposicionista Isaac Herzog alegava que a aprovação da lei colocaria Israel na mira da Corte Internacional Penal de Haia. No dia 23 de dezembro, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou uma resolução inédita que considera ilegais todos os assentamentos israelenses na Cisjordânia.   

A lei, de caráter retroativo, estabelece um mecanismo de compensação aos proprietários palestinos de terrenos onde foram construídos assentamentos ou casas. Eles podem receber um pagamento anual de até 125% do valor da terra por um período de 20 anos ou meios alternativos, como outros terrenos. O mecanismo pode legalizar até quatro mil casas, além de complicar as negociações de paz entre israelenses e palestinos, já que estes últimos exigem o fim das construções. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos