Marrocos aboli pena de morte para fiéis que deixam o Islã

RABAT, 9 FEV (ANSA) - O Conselho Superior de Ulemas, a mais alta autoridade religiosa do Marrocos, anunciou que os fiéis que se converterem a uma religião diferente do Islamismo não serão mais condenados à pena de morte, informou o site marroquino "Morocco World News".   

Segundo a publicação, de acordo com as regras em vigor em todos os países muçulmanos, não era permitido que nenhum cidadão mudasse de crença religiosa. No entanto, a nova medida foi definida pelo Conselho "não como uma questão religiosa, mas como um postura política mais alinhada com a alta traição".   

"O entendimento mais preciso e o mais consistente com a legislação islâmica e a maneira prática do Profeta", diz a fatwa, pronunciamento legal sempre emitido por um jurista religioso (o mufiti) em países islâmicos.   

O islamismo é uma religião regida pelo Alcorão, livro sagrado que contém textos revelados ao profeta Maomé, e que tem Alá como Deus. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos