Senador italiano será julgado por envolvimento com máfia

REGGIO CALABRIA, 10 FEV (ANSA) - A Direção Distrital Antimáfia (DDA) de Reggio Calábria abriu um processo contra o senador Antonio Caridi, do grupo parlamentar de direita Autonomia e Liberdade (GAL), sob a acusação de ser um "instrumento" da máfia da Calábria, 'ndrangheta, na política italiana.   

Caridi é investigado desde 2011 tanto pelo DDA de Gênova como de Reggio Calábria e, segundo os investigadores, é "usado" pela cúpula do grupo mafioso, conhecida como "Santa", desde que iniciou sua carreira política como conselheiro municipal. Em agosto do ano passado, foi autorizada sua prisão, mas ele ainda estava em liberdade.   

Além do senador, outras 82 pessoas serão julgadas por diversos crimes ligados à máfia, como associação mafiosa, compra de votos, corrupção, extorsão, fraude e falsidade ideológica. Entre eles, está o ex-parlamentar Paolo Romeo, o advogado Giorgio De Stefano, o ex-subsecretário de Reggio Calabria Alberto Serra e o ex-dirigente público da mesma região Francesco Chirico.   

A máfia 'ndrangheta, que tem base na Calábria, é um dos maiores grupos mafiosos italianos. Apesar de ser menos "famosa" internacionalmente que a siciliana Camorra, está espalhada por diversos setores da economia italiana, sendo muito mais infiltrada e de difícil detecção.   

Estima-se que haja seis mil membros da máfia na Itália e outras 60 mil pessoas espalhadas em 30 países diferentes. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos