Mais um secretário pede demissão da Prefeitura de Roma

ROMA, 14 FEV (ANSA) - Após ser mantido no cargo por uma decisão da prefeita de Roma, Virginia Raggi, o assessor para Urbanismo, Paolo Berdini, apresentou sua demissão "irrevogável" nesta terça-feira (14).   

"Era minha intenção servir à cidade colocando à disposição minhas competências e minhas ideias. No entanto, faltaram as condições para poder prosseguir com meu trabalho", disse o político em comunicado.   

Berdini se envolveu em uma polêmica no dia 8 de fevereiro, quando em uma conversa flagrada pelo jornal "La Stampa" o secretário chamou a prefeita da cidade de "despreparada" e "inadequada para o cargo que ocupa".   

Após a repercussão da matéria, o assessor apresentou seu pedido de demissão, mas Raggi não aceitou, mantendo-o no cargo "com ressalvas".   

No entanto, nesta segunda-feira (13), a prefeita foi questionada sobre o seu assessor e mostrou que o clima entre os dois não estava bom.   

"Berdini? Continuo a ler entrevistas e declarações.   

Sinceramente, não sei onde ele acha tempo. Ele precisa trabalhar e trabalhar muito e nós trabalhamos até o fim de cada noite. Eu vos digo, a paciência das pessoas têm um limite", disse aos jornalistas.   

No comunicado desta quarta, no entanto, Berdini rebateu em parte as acusações e criticou a gestão da representante do Movimento Cinco Estrelas (M5S).   

"Enquanto as periferias aprofundam a degradação sem fim e aumenta a emergência habitacional, a única preocupação me parece ser o estádio da Roma", disse o agora ex-assessor ao falar sobre o parecer desfavorável dado à construção. A líder da cidade ainda não respondeu ao pedido.   

A prefeita de Roma vem enfrentando uma série de crises e escândalos desde que assumiu o posto em julho do ano passado.   

A primeira mulher a comandar a prefeitura da "cidade eterna" é ainda investigada pela Procuradoria de Roma por suspeita de abuso de poder e falso testemunho na nomeação de dois assessores, o seu ex-chefe de gabinete Salvatore Romeo e o funcionário da Secretaria de Turismo Renato Marra, irmão do ex-chefe do departamento de pessoal Raffaele Marra, preso em dezembro passado por corrupção. Raggi se elegeu com um discurso de que prezaria pela "transparência" e pela "verdade", prometendo revolucionar o governo da cidade de Roma. No entanto, ela já enfrentou uma demissão em massa de cinco secretários e viu diversas peças fundamentais de seu governo se afastarem por denúncias de fraude e corrupção. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos