Coreia do Norte acusa Seul e EUA por morte de Kim Jong-nam

PEQUIM, 1 MAR (ANSA) - A Coreia do Norte acusou nesta quarta-feira (1) a Coreia do Sul e os Estados Unidos de serem os responsáveis pela morte de Kim Jong-nam, assassinado na Malásia com uma substância tóxica.   

Em comunicado divulgado pelo agência oficial de notícias "KCNA", o governo argumentou que "tendo em vista que as mulheres detidas como suspeitas do assassinato visitaram a Coreia do Sul várias vezes no ano passado, é muito possível que as autoridades sul-coreanas tivessem dado a substância a elas".   

Segundo a acusação, o agente XV, considerado uma arma química, usado para matar o irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-um, teria vindo dos Estados Unidos.   

"Apenas os Estados Unidos e alguns outros países ainda possuem o agente nervoso VX encontrado no corpo de Kim", destacou o governo norte-coreano que afirmou "que é problemático o fato de os Estados Unidos estarem introduzindo todo tipo de armas químicas na Coreia do Sul.   

Kim Jong-nam foi assassinado no dia 13 de fevereiro no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, após ser envenenado por duas mulheres - uma indonésia e outra vietnamita, que já estão detidas.   

No entanto, Pyongyang, que assegura que "a causa da morte ainda não foi esclarecida", acusou também a Coreia do Sul de difundir o rumor de que Kim Chol - nome que aparecia no passaporte diplomático de Jong-nam - foi envenenado por agentes norte-coreanos para provocar rejeição ao país e um conflito com a Malásia.   

"Os Estados Unidos e as autoridades sul-coreanas estão culpando a Coreia do Norte sem motivos, acusações com contornos políticos com o objetivo de prejudicar sua imagem e derrubar seus sistema social", afirmou a KCNA.   

" A mídia mundial está questionando o fato de que, na face e lábios de Kim foram encontrados vestígios de agente VX, a ambulância que o transportou e a polícia que ajudou deveriam também ter sido intoxicadas. E, consequentemente, todo o aeroporto era para ser fechado", ressaltou o comunicado.   

Diante desta acusação, a Coreia do Norte ressaltou que adotará as medidas de defesa necessárias. Kim Jong-nam estava escondido na Malásia desde a execução do seu tio Jang Song-thaek, em 2014.   

Sua morte, no entanto, é cercada de mistérios e suspeitas.   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos