União Europeia prevê 5 cenários após Brexit

BRUXELAS, 2 MAR (ANSA) - O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, abriu nesta quarta-feira (1) uma reflexão sobre o futuro da União Europeia (UE) após o Brexit apresentando cinco cenários como base.   

O "Livro Branco" sobre o futuro da Europa tem o objetivo de estabelecer uma base para uma discussão na cúpula em Roma, que acontece dia 25 de março, por ocasião do 60º aniversário do projeto europeu.   

Juncker listou cinco diferentes opções sobre até onde pode caminhar a União Europeia de 27 países até 2025 e depois da eventual saída do Reino Unido, em meados de 2019.   

A primeira ideia é de manter a atual direção, ou seja, a UE continuaria com as atuais políticas, além de reforçar a segurança e a defesa exterior, assim como garantir a recuperação econômica.   

A segunda se concentra "apenas" sobre o "mercado único", que visa um projeto europeu centrado na cooperação econômica no âmbito do mercado único, o que facilitaria as tomadas de decisão, principalmente em temas como migração, segurança e a defesa. " Os direitos dos cidadãos derivados da legislação da UE (como a livre circulação dentro do bloco) poderiam ser restringidos com o tempo", afirma o Livro Branco. O terceiro cenário "quem quer mais faz mais" mostra uma Europa "a várias velocidades", no qual os países terão um aprofundamento de políticas específicas e os que desejarem poderão avançar para uma cooperação militar e até mesmo um combate ao terrorismo. Os direitos dos cidadãos dependeriam do local de origem.   

A quarta ideia "fazer menos e melhor" prevê que os 27 países devem concentrar esforços nas áreas que definem como prioritárias. "Uma divisão mais clara das responsabilidades ajuda os cidadãos a compreender melhor o que se administra na UE", mas os 27 poderiam "ter dificuldades para definir que áreas devem priorizar", afirma o relatório da Comissão Europeia.   

O último cenário "fazer mais unidos" estabelece que os países compartilhem mais poder, recursos e tomadas de decisão em todas os âmbitos desde a Eurozona até questões de defesa, imigração ou energia "para enfrentar os desafios do dia a dia".   

No entanto, o documento adverte para o "risco de alienar partes da sociedade que sentem que falta legitimidade à UE ou que possui muitos poderes em detrimento das autoridades nacionais".   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos