Trump pede inquérito contra Obama por supostos grampos

NOVA YORK, 05 MAR (ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu para o Congresso investigar um suposto abuso de poder por parte do governo de seu antecessor, Barack Obama, acusado de ter grampeado os telefones da Trump Tower, em Nova York.   

A denúncia foi feita pelo próprio mandatário no último sábado (4), por meio de diversas declarações no Twitter. Segundo o republicano, as linhas telefônicas da sede de seu império imobiliário foram monitoradas em outubro passado, às vésperas da eleição presidencial que culminaria em sua vitória.   

Sem apresentar provas, o presidente dos EUA acusou Obama de "macartismo" e de reviver o escândalo Watergate, responsável por derrubar Richard Nixon.   

"As notícias sobre possíveis investigações com motivação política antes da eleição de 2016 são um grande problema. O presidente Trump então pediu que, como parte de seu inquérito sobre as atividades da Rússia, a comissão de inteligência do Congresso exercite sua autoridade de vigilância para apurar se houve um abuso por parte do governo ao usar seus poderes executivos", diz a nota da Casa Branca.   

No fim do comunicado, o governo norte-americano diz que o presidente não comentará mais o caso enquanto essa averiguação não for concluída. Por meio de seu porta-voz, o democrata negou que tenha mandado espionar Trump e chamou as denúncias de "simplesmente falsas".   

As acusações também provocaram incômodo entre republicanos, e um senador do partido, Ben Sasse, cobrou mais explicações do mandatário e a apresentação de provas, chamando as declarações de seu correligionário de "muito graves". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos