Escândalo da Odebrecht chega ao presidente do Peru

SÃO PAULO, 07 MAR (ANSA) - A procuradora destacada para investigar supostas irregularidades cometidas pela empreiteira brasileira Odebrecht no Peru, Katherine Ampuero, pediu à Procuradoria-Geral a abertura de um inquérito preliminar contra o presidente Pedro Pablo Kuczynski.   

Segundo ela, o objetivo é apurar aportes suspeitos feitos pela construtora na empresa Latin America Enterprise, que seria vinculada ao chefe de Estado. Além disso, um relatório da Unidade de Inteligência Financeira (UIF) revelou doações da Odebrecht durante a campanha eleitoral do ano passado.   

Diversos candidatos teriam sido beneficiados, inclusive Kuczynski. Já o governo criticou o pedido da procuradora, a quem acusa de se basear em matérias jornalísticas, e sugeriu "correções" em sua atuação.   

Além do Brasil, onde é investigada pela Operação Lava Jato, e do Peru, a Odebrecht está envolvida em inquéritos em diversos países da América Latina, como Argentina, Equador, Colômbia, Venezuela e Panamá.   

Em depoimento na última segunda-feira (6) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) brasileiro, um ex-funcionário da empresa, Hilberto Mascarenhas, contou que o "departamento de propinas" da construtora movimentou quase US$ 3,4 bilhões entre 2006 e 2014.   

Desse total, entre 80% e 85% foram destinados ao exterior.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos