Trump divulga orçamento com forte investimento militar

NOVA YORK, 17 MAR (ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresentou nesta quinta-feira (16) seu projeto de orçamento no qual propõe uma reforma nos gastos federais aumentando o investimento no setor militar e na defesa e fazendo cortes na saúde, educação e ciências.   

"Um orçamento que coloca a América em primeiro lugar deve tornar a segurança do nosso povo a sua prioridade número um porque sem segurança, não pode haver prosperidade", disse Trump em uma mensagem que acompanha o projeto.   

Segundo o plano orçamentário, o Departamento de Estado terá menos 29% de verba, que afetará os programas de ajuda a países estrangeiros. Já o Departamento de Agricultura e o do Trabalho sofrerão um corte de 21% em seus orçamentos.   

Além disso, são defendidos cortes de 14% na educação e o desinvestimento nos meios de comunicação públicos, que pode causar o fim de centenas de rádios locais e do canal de televisão PBS.   

No orçamento da Agência de Proteção Ambiental (EPA), o governo propõe um corte de 31%, o que eliminaria seus programas de mudança climática e diminuiria as principais iniciativas destinadas a proteger a qualidade do ar e da água.   

Caso essa proposta seja aprovada, cerca de 19% dos funcionários da EPA serão demitidos. A medida colocaria fim nas iniciativas propostas pelo ex-presidente Barack Obama de mudança climática.   

De acordo com o projeto do magnata, estes cortes representam US$ 54 bilhões, que na sua totalidade serão revertidos para o investimento no setor militar e na defesa das fronteiras norte-americanas.   

No total, é previsto um aumento de 6% no orçamento do Departamento de Veteranos de Guerra, 7% no Departamento de Segurança Interna e 9% no Departamento de Defesa.   

O objetivo, segundo a Casa Branca, é acelerar a ofensiva contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI, ex-Ísis) no Iraque e Síria, para avançar nas operações antiterrorismo no Afeganistão.   

"Esta solicitação permitirá ao Departamento de Defesa perseguir uma estratégia integral para acabar com a ameça que o EI representa aos Estados Unidos", informou Trump em carta enviada ao presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan.   

Este aumento para os militantes é o maior desde o governo de Ronald Reagan nos anos 1980. O projeto orçamentário, ainda destina US$2,6 bilhões para o planejamento, design e construção do controverso muro na fronteira do país com o México. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos