Vítimas de sismos na Itália fazem atos cobrando promessas

ROMA, 1 ABR (ANSA) - Centenas de moradores da região central da Itália afetados por uma série de terremotos em 2016 fazem um protesto neste sábado (1) para cobrar as promessas feitas pelo governo italiano para ajudar na reconstrução das cidades.   

As maiores manifestações ocorrem em Roma e em várias das cidades afetadas, como Arquata, Amatrice e Torrita. "Este é um ultimato para o governo: ou em uma semana nós encontramos o governo para debater, com os líderes a Câmara e do Senado e o comissário [para a reconstrução] Vasco Errani, ou paralisaremos a Itália. Chega de palavras, queremos os fatos", disse um dos participantes da manifestação à ANSA. Segundo eles, faltam "casas e expectativas" sobre o futuro para morar nas áreas atingidas. Os manifestantes reclamam que há sete meses dos primeiros tremores, apenas 25 casas em contêineres foram entregues pelo governo. Após o início dos protestos, o primeiro-ministro da Itália, Paolo Gentiloni, afirmou que as pessoas atingidas pelo terremoto "são um prioridade absoluta" e que isso será confirmado após a aprovação de uma medida governamental que liberará os recursos para as regiões.   

Os terremotos iniciaram uma série sísmica em 24 de agosto de 2016, com picos em outubro e novembro. Ao todo, 299 pessoas morreram nos tremores e dezenas de pequenas comunas foram destruídas por toda a área central do país. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos