Terrorista de metrô russo pode ter sido kamikaze sem querer

ROMA, 6 ABR (ANSA) - Os investigadores russos estão analisando se o jovem acusado de ter cometido o ataque ao metrô de São Petersbugro, na último dia 3, Akbarzhon Jalilov, foi um homem-bomba "sem saber".   

De acordo com a agência de notícias Interfax, fontes da investigação informaram que "muitos indícios indicam que ele teria apenas que deixar as bombas, que seriam ativadas depois por um telefonema".   

Os investigadores afirmam que os cúmplices da ação podem ser jovens "cidadãos das repúblicas da Ásia central" e que podem ter ativado remotamente os explosivos ainda no corpo de Jalilov.   

"Na busca e apreensão feita no apartamento onde essas pessoas viviam, foram encontrados objetos que tem muita importância para a investigação que foram enviadas para exame", informou o Comitê de Investigação russo. No local, também foi encontrada uma bomba - que foi desativada. O ataque ao metrô de São Petersburgo deixou 14 mortes e cerca de 50 feridos e não foi reivindicado por nenhum grupo terrorista.   

Os motivos da ação ainda são desconhecidos das autoridades russas, que identificaram o terrorista como um homem que nasceu no Quirguistão e que tinha nacionalidade russa.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos