Itália divulga nome de presos em esquema de cidadania falsa

NÁPOLES, 8 ABR (ANSA) - Após a prisão de dois funcionários públicos que teriam ajudado jogadores brasileiros a obter a cidadania italiana, a investigação mostrou que haviam marca de selos falsas em documentos apresentados por alguns dos atletas, segundo informações do Tribunal de Nola, em Nápoles.   

Ontem (7), o responsável pela secretaria de Estado Civil de Brusciano e o titular de uma agência de práticas administrativas de Terni foram presos acusados de terem recebido propina para conceder a dupla cidadania a sul-americanos, especialmente, brasileiros.   

Neste sábado (8), as autoridades divulgaram o nome dos dois detidos. Trata-se de Michele de Maio, italiano de 57 anos, que já havia sido suspenso de suas funções em agosto do ano passado, e do ítalo-brasileiro Luis Sonda Vanderlei, 43, titular da Interamma International.   

De acordo com os investigadores, Di Maio tinha 23 carimbos diferentes em sua casa - sendo que 21 deles tinham sido usados em documentos dos investigados.   

Ainda segundo a investigação, quem conseguiu a cidadania ilegalmente, não teve o controle sobre a residência realizado e chegavam na Itália para ficar o tempo estritamente necessário para cumprir formalidades burocráticas. De acordo com as primeiras análises, esse prazo não passava de alguns dias.   

Depois disso, esperavam o certificado de cidadania no Brasil.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos