Justiça causa confusão em maior partido opositor da Itália

ROMA, 10 ABR (ANSA) - O juiz Roberto Braciallini suspendeu nesta segunda-feira (10) a exclusão da candidatura de Marika Cassimatis, que disputou as primárias do partido Movimento Cinco Estrelas (M5S) para a prefeitura de Gênova, e determinou que ela deve concorrer ao cargo.   

Cassimatis havia entrado na Justiça contra o líder do partido, o comediante Beppe Grillo, que havia suspendido a professora da sigla. Ela havia sido suspensa porque deu "likes" em comentários nas redes sociais de pessoas que haviam sido expulsas do M5S.   

"Nós vencemos sobre uma questão de direito, agora há grande entusiasmo. Sou candidata à prefeita", disse Cassimatis em frente à escola em que leciona após saber da decisão judicial.   

"Agora cabe à equipe e a Grillo decidir o que fazer", disse ainda.   

A decisão complica a situação do M5S em Gênova, já que com a decisão judicial, todos os procedimentos tomados após a saída de Cassimatis foram anulados. Após afastar a professora, Grillo convocou novas primárias e o vencedor foi Luca Pirondini - que havia sido derrotado por ela. Agora, o partido corre o risco de ficar sem candidato nas eleições. No entanto, o M5S afirmou que vai recorrer da decisão. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos