Ex-presidente da Coreia do Sul pode pegar prisão perpétua

SEUL, 17 ABR (ANSA) - A ex-presidente da Coreia do Sul Park Geun-hye foi formalmente indiciada nesta segunda-feira (17) por crimes de corrupção abrindo o caminho para uma ação judicial que poderá culminar com a pena de prisão perpétua.   

Park, que foi alvo de um impeachment político, foi presa no dia 31 de março após uma série de longos depoimentos à Procuradoria.   

Os magistrados afirmaram que ela conspirou com uma colaboradora para colocar em funcionamento um sistema de corrupção, sendo formalmente indiciada por abuso de poder, extorsão, por ter aceitado propina e pela divulgação de segredos de Estado.   

Apesar do nome da "colaboradora" não ter sido citado formalmente hoje, o caso refere-se a Choi Soon-sil, amiga da ex-presidente há mais de 40 anos e acusada de ter feito uma "intromissão" nos assuntos de Estado. Soon-sil também está presa.   

O processo, que deve iniciar nas próximas semanas, poderá durar alguns meses, segundo os juízes sul-coreanos. Durante esse período, no entanto, a população já foi convocada para novas eleições gerais, que ocorrerão no dia 9 de maio. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos