Harry confessa que fez terapia para superar morte de Diana

LONDRES, 17 ABR (ANSA) - O príncipe Harry confessou em uma entrevista à imprensa britânica que precisou se submeter a terapia para enfrentar o trauma da morte de sua mãe, a princesa Diana. Em declaração ao jornal "The Daily Telegraph", o monarca, quinto na linha sucessão ao trono, comentou pela primeira vez que tentou esconder e lutar contra seus sentimentos por anos.   


"Enfiava a cabeça na terra, me negava a pensar nela. Por que isso deveria me ajudar? Eu me senti atriste e não a fazia voltar à vida", disse Harry, de 32 anos, que, junto com seu irmão William e sua cunhada Kate Middleton, está em uma campanha para sensibilizar a opinião pública sobre saúde mental. "Estive muito perto, em várias ocasiões, de um esgotamento", revelou o princípe, detalhando que começou a buscar ajuda de um psicoterapeuta aos 28 anos de idade. Harry contou que teve o apoio de William para procurar atendimento médico e que encontrou na prática do boxe uma maneira de "administrar a agressividade e o desejo de bater em alguém". A princesa Diana, conhecida mundialmente pelo apelido Lady Di, morreu em 31 de agosto de 1997, em um acidente de carro na França. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos