Casos de racismo no futebol da Itália chamam atenção da Fifa

SÃO PAULO E MANAMA, 10 MAI (ANSA) - Os recentes casos de racismo contra Muntari, do Pescara, e Benatia, da Juventus, voltaram a colocar foco no futebol italiano além das quatro linhas. Por conta disso, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, defendeu os atletas e informou que conversará com o líder da Federação Italiana de Futebol (Figc), Carlo Tavecchio, sobre como combater o problema. "Conversarei com Muntari e com Tavecchio para trabalharmos juntos sobre esse problema do racismo. Brigaremos e continuaremos a brigar contra os idiotas que estão por todos os lugares. Precisamos continuar a trabalhar mostrando o problema e é justo que coisas do tipo venham à tona. Depois precisamos superar isso com trabalho", disse Infantino durante uma reunião nesta terça-feira (9) no Bahrein.   


Questionado sobre a atitude do árbitro, Minelli di Varese, que puniu Muntari com um cartão amarelo após ele reclamar dos gritos racistas que ouviu das arquibancada, o presidente da Fifa disse que "quando um jogador apresenta uma situação do tipo ao árbitro, o modo correto de proceder é parar a partida e emitir um anúncio pelos alto falantes", além de "suspender o jogo" se os gritos continuarem.   


"Mas, o verdadeiro problema é que certos idiotas estão em todos os lugares", concluiu.   


Os casos envolvendo os dois jogadores ocorreram em momentos diferentes.   


Muntari foi alvo de racismo durante a partida contra o Cagliari, no dia 30 de abril. Ao reclamar com o árbitro e tomar um cartão amarelo por reclamação, ele abandonou o campo de jogo.   


No dia seguinte, chegou a tomar um jogo de suspensão pela atitude, em medida que foi revogada posteriormente pela Figc.   


Desde então, o atleta não parou de falar sobre o assunto como forma de fazer uma reflexão sobre o tema no país.   


Já Benatia foi insultado durante uma entrevista a um programa da emissora italiana "RAI". O zagueiro da Juventus estava conversando com a apresentadora quando interrompeu a conversa para questionar quem havia falado "ao fundo" porque ele tinha ouvido um "insulto".   


A entrevista foi interrompida por "problemas técnicos" e, mais tarde, Benatia informou que ouviu alguém falar "o que você está falando, seu marroquino de merda?". Em nota, a RAI lamentou o ocorrido. "Pedimos sinceras desculpas pelo deplorável incidente de racismo envolvendo o jogador da Juventus Benatia durante nosso programa, que felizmente não foi escutado pelos telespectadores, pois não foi ao ar. A RAI está mobilizada investigando os responsáveis pelo que aconteceu", emitiu em nota a entidade. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos